Sabe o que as Escolas de Samba têm a ensinar às empresas?


As escolas de samba adotam uma cultura organizacional que favorece, dentre outros aspectos, o estímulo à motivação, colaboração, integração e inspiração por meio de um propósito envolvente como forma de atingir os resultados almejados.


Uma escola é composta, em sua maioria por gente simples, voluntários, não remunerados que, apesar disso, pisam na avenida e produzem um dos mais belos espetáculos da terra. Você já se perguntou, o que faz com que essas pessoas direcionem sua energia para isso?

MOTIVAÇÃO


O artigo escrito pelo neurocientista Carlos Diz, ressalta que a escola de samba é um primor de exemplo de como uma organização pode fomentar a motivação intrínseca.


Segundo Diz, há três condições determinantes da motivação intrínseca (MI), como pregam L. Deci e R. Flaste (1995):

  • Autonomia percebida - o folião, por exemplo, é inteiramente livre para decidir se quer ou não desfilar e em que escola, o que faz com que se perceba 100% autônomo.

  • Auto-eficácia - Para participar de um desfile, não é preciso se ter diplomas, passar por provas ou fazer concursos. É necessário apenas, acreditar que se é competente.

  • Inclusão percebida – O integrante é livre para decidir qual é a sua escola e percebe-se um enorme senso de pertencimento cujo resultado se reflete na avenida.

Adiciono a esses, o aspecto de:

  • Percepção de Valor – Acreditar que uma atividade tem um papel importante no contexto, promove o senso de autonomia e estimula a motivação.

COLABORAÇÃO E INTEGRAÇÃO


Além da motivação, a colaboração e integração são fatores chave para que as pessoas trabalhem em prol de um mesmo objetivo. Prova dessa relevância é o fato de que os quesitos de julgamento sempre levam em consideração o resultado do grupo: harmonia, conjunto, evolução, comissão de frente, bateria etc.


Segundo o estudo de autoria de Robson Ramos Oliveira e Josir Simeone Gomes, em todas as escolas de samba, as decisões são tomadas em conjunto. As boas ideias não são propriedade apenas dos ocupantes de níveis hierárquicos superiores.


Existe um ambiente receptivo às novas ideias que só se consegue com a participação ativa de todos.


Esta colaboração ultrapassa os muros internos das escolas. Apesar de existir uma competição entre elas, não são rivais chegando a formar, no Rio de Janeiro, uma liga: a LIESA (Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de janeiro).

PROPÓSITO


O objetivo da maioria das escolas é vencer o campeonato. Contudo, não negligenciam o que elas possuem de mais importante: a sua comunidade!


Uma escola de samba desempenha um papel social muito importante favorecendo a oportunidade de inclusão social, geração de emprego, estímulo à prática do voluntariado, além de ser fonte de ensino-aprendizagem das artes plásticas, cênicas e musicais.


Essa grande causa justifica o esforço e inspira as pessoas ao redor a realizarem coisas notáveis.

Referências Bibliográficas:

Pontes, Marcelo Chiavone, artigo publicado em fev 13, 2017 na revista digital HSM Management, http://www.revistahsm.com.br/inovacao/inspire-sena-gestao-das-escolas-de-samba/


Post de Carlos Diz, O QUE AS EMPRESAS PRECISAM APRENDER COM AS ESCOLAS DE SAMBA. https://neurolideranca.wordpress.com/2014/01/18/o-que-as-empresas-precisam-aprender-com-as-escolas-de-samba/


Oliveira, Robson Ramos; Gomes, Gomes, Josir Simeone, Cultura Organizacional desvelada a partir de estudo sobre o Sistema de Controle Gerencial das Escolas de Samba do Grupo Especial da Cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2008. V Encontro de Estudos Organizacionais da ANPAD.

#ambientecorporativo #colaboração #trabalhoemequipe #escoladesamba #propósito

Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Basic Square